Sobre

About Image Ok, este é o momento no qual vou falar de mim. Antes de mais nada, eu gosto de escrever. Sempre gostei. Nunca antes tive a coragem de fazê-lo profissionalmente, mas sempre gostei de escrever. Eu tinha a intenção de cursar Jornalismo ou Comunicação e Expressão. E isso desde quando eu era um garotinho pequeno, nos meus oito anos de idade.

Enfim, tudo ia muito bem, até que um computador entrou no meu caminho: o Radio Shack Tandy Color Computer, o TRS-80 Coco. No Brasil, um compatível foi lançado com o nome de CP-400. Eu me diverti bastante com aquele computador, enquanto durou. Um dia, ele estragou, e ninguém em minha cidade podia consertá-lo. Aquilo me deixou furioso, e eu prometi que iria estudar engenharia elétrica para poder consertar o computador. Em seguida, comecei a aprender coisas sobre eletrônica e comprei umas revistas no assunto. Montei alguns circuitos pequenos que vinham nas revistas. Me diverti vendo luzes piscando e ouvindo sons controlados mas irritantes que emanavam daqueles circuitos.

Eis que o tempo passou, e eu fui aos Estados Unidos como estudante de intercâmbio. Estudei em duas escolas do estado de Ohio, que moram firmemente em meu coração desde então. Tenho memórias frescas de fatos ocorridos nelas como se tivessem acontecido ontem. Preciso mencionar as escolas aqui:

  • Lakewood High School, em Hebron, OH, classe de 1994. Estudei apenas de agosto de 93 até janeiro de 94, se me lembro bem. A família que me hospedou ficava em Thornville, OH.

  • Mentor High School, em Mentor, OH, classe of 1994. Logo que me mudei de Thornville, OH, fui muito bem recebido pelo Sr. Dan Litzinger, meu conselheiro. Acredite em mim, eu não me lembraria de como soletrar o seu nome se seu suporte e motivação não me tivessem sido primordiais para a minha vida, como são até o dia de hoje.

De volta à minha biografia, coloquei minha carreira de escritor em suspensão quando faltava cerca de três meses para concluir meu programa de estudante de intercâmbio. Recebi uma ligação de casa, e era meu irmão dizendo que o prazo para inscrição do vestibular estava terminando. Ele se ofereceu para fazer a minha inscrição, contanto que eu lhe encaminhasse uma procuração assinada. Eu aceitei, e fui muito grato por isso, como o sou até hoje. Ele, ao telefone, me perguntou: "Engenharia elétrica, né?". Confesso que aquilo me induziu a responder simplesmente "Sim", e, aqui estou, bacharéu em Engenharia Elétrica, tendo trabalhado 18 anos na área. Profissionalmente, também jamais deixei os computadores, e conheço uma quantidade razoável de linguagens e técnicas de programação.

Tudo isso para dizer que, até este ano de 2018, todo meu esforço de escrita tem sido direcionado apenas para computadores (programação). Ok, eu sempre vou escrever para computadores, isso nunca cessará. Mas, este ano, decidi começar a escrever para pessoas e resgatar meu sonho dos oito anos de idade: tornar-me um autor.

Obrigado pela visita, e espero lhe agradar em meu sítio e em meus textos.

Andre Soeiro